Bizantinos

Época que assinala a superioridade do império romano do Oriente sobre o Ocidente.

Principais igrejas: St. Apollinaire in Classe (Ravena/Itália), Santa Maria Maggiore, (Roma/Itália) e Santa Sofia (Constantinopla).

Geralmente, a arquitetura dessas igrejas possui estruturas poligonais, ou arredondadas, com plano central encimado por “domos” que copiam os mausoléus romanos construídos para os imperadores pagãos. No caso, a complexidade exterior das igrejas equipara-se à riqueza do seu interior. O projeto da igreja de Santa Sofia (532/37) apresenta uma combinação de elementos que a torna única: um eixo longitudinal, cuja nave central é retangular, encimada por uma cúpula, limitada por semicúpulas em escala monumental, conferindo-lhe extrema leveza.

São famosos no interior da igreja de San Vitale, em Ravena, os mosaicos do imperador Justiniano, cercado por um séquito composto por figuras esguias de pés minúsculos e olhos amendoados. A era justiniana é marcada pela Questão Iconoclasta (726), que proíbe as imagens religiosas por mais de 100 anos. Por isso, a pintura simétrica e sem volume é amplamente desenvolvida, assumindo características emocionais evidentes, mais até do que é conferido às pinturas cristãs primitivas.

Vídeos

Arte bizantina.
Ver vídeo

Arte e arquitetura islâmica.
Ver vídeo

Mosaicos islâmicos.
Ver vídeo